Facebook

Image Map

24 de agosto de 2017

Prefeitura vai instalar Central de Regulação de Leitos de UTI até o dia 1° de novembro


A Prefeitura Municipal de Mossoró está avançando nas ações para instalação da Central de Regulação de Leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Local, perfil das unidades hospitalares e formação das equipes já foram definidos. As informações foram repassadas pelo secretário municipal de Saúde, Benjamin Bento, durante audiência realizada nesta quinta-feira (24) na 8ª Vara da Justiça Federal no Rio Grande do Norte.

A Central vai funcionar na sede do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), cujas instalação foram recuperadas e inaugurada pela prefeita Rosalba Ciarlini na última terça-feira (22). Benjamin Bento informou que, além de médico e enfermeiro, o instrumento contará também com plantão de Supervisor Assistência, que terá o papel de acompanhar todo o funcionamento do sistema, “para garantir que não existirão leitos ociosos enquanto pacientes aguardam na fila”, explicou.

Somente o investimento com pessoal será da ordem de R$ 100 mil por mês. As equipes serão formadas por servidores da Prefeitura de Mossoró e Governo do Estado, que já foram selecionados e estão sendo capacitados. Licitação também será realizada no dia 28 de agosto para compra de equipamentos de informática para estruturar a Central, que funcionará 24 horas.

Durante a audiência, Benjamin Bento solicitou prazo de 60 dias para colocar a Central de Regulação em funcionamento. Atendendo ao seu pedido, o Juiz Federal da 8ª Vara, Orlan Donato Rocha estipulou a data de 1° de novembro deste ano para o início das atividades. “Até outubro já teremos as escalas de plantão prontas. Pedimos prazo de 60 dias, mas vamos trabalhar para, se possível, começar antes”, se comprometeu o secretário.

O Juiz Federal elogiou o “esforço” de todos os envolvidos no processo para instalação da Central de Regulação, em especial ao secretário Benjamin Bento.

A audiência contou com a participação presencial de representantes da Prefeitura de Mossoró, Defensoria Pública Federal, Procuradoria da República, Conselho Regional de Medicina do RN (Cremern), Apamim, Hospital Wilson Rosado, Hospital São Luiz, Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM) e Liga Mossoroense de Combate ao Câncer, e por meio de videoconferência da Advocacia-Geral da União (AGU), Ministério da Saúde, Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap).