Facebook

Image Map

31 de agosto de 2017

Na Assembleia, Clorisa reforça luta em defesa da manutenção de empregos no RN



A vereadora e pré-candidata ao Governo do Estado pelo PSDC, Clorisa Linhares, participou, nesta quarta, 30, ao lado do presidente estadual do PSDC e pré-candidato ao Senado, Dr. Joanilson de Paula Rêgo, de audiência pública na Assembleia Legislativa. O debate, proposto pela deputada estadual Larissa Rosado, girou em torno da revitalização da cadeia produtiva do petróleo e gás. 

Em sua fala, Clorisa reforçou a sua luta em defesa da manutenção de empregos no Rio Grande do Norte. “São mais de 10 mil empregos perdidos com a desativação de poços em nosso estado, mais de 10 mil famílias desamparadas. É preciso reverter esse quadro urgentemente. Parabenizo a deputada Larissa por essa iniciativa de não só discutir a crise, mas também oportunizar a apresentação de soluções”, disse. 

Ainda durante seu pronunciamento, a pré-candidata destacou a importância de se levar o debate sobre a revitalização da cadeia produtiva do petróleo e gás para os municípios que hoje têm os royalties como fonte de renda mais expressiva, como, por exemplo, Grossos. 

“Nosso município já chegou a receber mais de R$ 1 milhão em royalties, agora em agosto recebeu cerca de R$ 600 mil. Essa queda prejudica diretamente os investimentos locais. Nesse momento é importante darmos às mãos. Sem esses recursos, cada vez mais a condição de vida da população será afetada. As Prefeituras poderiam elaborar documentos que apontem os impactos econômicos e sociais dessa política de desinvestimento da Petrobras”, alertou Clorisa Linhares. 

Participaram da audiência na Assembleia Legislativa os deputados Fernando Mineiro, Hermano Morais, George Soares, além de Larissa Rosado, e representantes de entidades como Sindipetro/RN, Redepetro/RN, Sebrae, IFRN, CTB, FIERN e empresas do setor. 

SAL 

A vereadora também enfatizou que, além da crise no petróleo, um outro setor importante da economia poderá, em breve, sofrer prejuízos irreversíveis: a indústria salineira. 

“Existe um Termo de Ajustamento de Conduta, do Ministério Público Federal, que prevê o recuo de áreas às margens dos rios hoje ocupadas por salinas. Em Grossos, 80% dos empregos atualmente estão ligados à indústria do sal. Se houver esse recuo, a produção será prejudicada e, consequentemente, haverá redução de empregos. Precisamos discutir esse assunto com urgência, por isso realizaremos uma audiência pública na próxima terça, 5, a partir das 9h, na Câmara Municipal da nossa cidade”, concluiu Clorisa.