7 de julho de 2017

Caern suspende rodízio de abastecimento na Zona Norte da capital



O volume de chuvas dos últimos dias na cidade do Natal, fez com que o nível da Lagoa de Extremoz atingisse 88% de sua capacidade total. Diante desse volume, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) decidiu junto à Agência Reguladora de Saneamento Básico do Natal (Arsban) e ao Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn) suspender o regime de rodízio de abastecimento de água na Zona Norte da capital.
 
A lagoa é responsável por 70% do abastecimento da região, sendo complementado por poços. Assim, a população da Zona Norte passará a ter o abastecimento diariamente. Mas, mesmo com a situação da consolidação do período chuvoso, já esperado para o período, a Caern ressalta que o uso racional da água deve ser permanente.
 
“Hoje, vivemos uma realidade mundial em que o desperdício de um bem tão precioso é inimaginável”, alerta o superintendente de Operação e Manutenção de Natal da Caern, Lamarcos Teixeira.  O rodízio na Zona Norte teve início em fevereiro, quando a lagoa apresentava um baixo nível, aproximadamente 36% de sua capacidade. No primeiro momento, o rodízio foi realizado com abastecimento 24h por dia e 48h sem fornecimento de água. Em meados de junho, com o aumento do nível o rodízio passou a ser 24h por 24h.

A Caern, a Arsban e o Igarn foram cautelosos com a situação da Zona Norte, as alterações no abastecimento foram gradativas e balizadas pelo volume de chuvas e pelo nível da lagoa. O diretor presidente do Igarn, Josivan Cardoso ressalta que o monitoramento da lagoa é continuado e que sempre que necessário emitirá alertas para que a Companhia tome medidas preventivas no intuito de preservar o abastecimento da população.
 
Durante todo o tempo em rodízio, a Caern destaca que o apoio da população foi fundamental para superar este momento de crise hídrica na capital. Assim, como as ações de fiscalização e de retomada de poços artesianos pela Companhia.
 
ZONAS SUL, LESTE E OESTE
 
A Lagoa do Jiqui, responsável por 30% do abastecimento das zonas Sul, Leste e Oeste da capital está, de acordo com o Igarn, com 100% de sua capacidade. Na região, os poços são responsáveis por 70% do fornecimento de água. A companhia reforça a necessidade do uso racional também nestas regiões. “A capital encontra-se em uma situação mais confortável, mas no Rio Grande do Norte diversas cidades ainda estão em situação de colapso no abastecimento, precisamos ser solidários com esta situação”, reforça Lamarcos Teixeira.