13 de junho de 2017

Semana da Resistência relembra fatos históricos de 1927

Exibindo prefeita participa semana da resistência.jpg

“A cidade acha-se firmemente inabalável na sua defesa, confiando na mesma”. Com essas palavras o então prefeito de Mossoró, Rodolfo Fernandes, encerrou o bilhete que dizia não às exigências do cangaceiro Lampião, em 1927. Hoje, 13, ao comemorar 90 anos da resistente bravura do povo desta cidade, o Museu Lauro da Escóssia realizou uma programação especial, iniciando a Semana da Resistência.

A programação começou com as participações da Banda Sinfônica Artur Paraguai e do poeta Antônio Francisco, além do historiador Geraldo Maia. Até o final desta semana, com exceção da quinta-feira, 15, que é feriado, o Museu funcionará nos turnos manhã e tarde.

Os alunos das escolas visitantes puderam ver exposição de acervo do cangaço e palestras com Kydelmir Dantas. “As professoras na escola já tinham falado sobre a história, mas estar aqui no Museu é bem mais interessante”, disse a estudante Maria Eduarda.

A prefeita Rosalba Ciarlini participou da abertura da programação e conversou com as crianças sobre os fatos históricos da resistência. “Aprendemos com nosso passado que somos fortes e resistentes. Vocês têm toda importância nisso porque são o futuro da resistência de Mossoró”, disse.

A programação contará ainda com a participação da escritora Marcela Fernandes de carvalho, bisneta do prefeito Rodolfo Fernandes, e exibição do filme: A Cidade das 4 Torres.

A Semana da Resistência integra a programação do Mossoró Cidade Junina 2017 e será encerrada no sábado.