21 de junho de 2017

Juiz considera ilegal apreensão de som nas quadrilhas e pede apuração de abuso de autoridade policial

Exibindo Quadrilhas.jpg

O juiz Paulo Luciano Maia Marques, do Juizado Especial Criminal considerou como inadmissível, inaceitável e ilegal a apreensão dos aparelhos sonoros utilizados na apresentação das quadrilhas do Mossoró Cidade Junina, na madrugada do último sábado, 17, levando em consideração a importância cultural do evento.

De acordo com a sentença “Apreender aparelhos sonoros que estão sendo utilizados para os festejos junino numa cidade que é notoriamente conhecida no país inteiro por realizar uma das maiores festas de São João do calendário turístico e econômico do Nordeste e do Brasil é equivalente a apreender a bateria das escolas de samba, às vésperas do Carnaval do Rio de Janeiro. Inadmissível, inaceitável e ilegal.”

Por consequência, o juiz determinou a restituição imediata e com urgência dos bens apreendidos e pediu averiguação de eventual abuso de autoridade praticado pela autoridade policial.