Facebook

Image Map

11 de maio de 2017

Ministro vai autorizar permanência de agentes federais no RN por pelo menos mais um mês

Exibindo WhatsApp Image 2017-05-10 at 8.53.01 PM.jpeg

Os 78 agentes do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), ligados ao Ministério da Justiça, que estão no Rio Grande do Norte integrando a força-tarefa de intervenção penitenciária atuarão, no mínimo, por mais trinta dias na Penitenciária Estadual de Alcaçuz. A garantia foi dada pelo ministro da Justiça, Osmar Serraglio, em audiência realizada na noite desta quarta-feira (10), em Brasília, com o governador do Estado e a bancada federal potiguar. 

Serraglio prometeu que a prorrogação poderá se dar por mais tempo, caso não ocorra uma situação grave emergencial que obrigue o governo federal a deslocar seus homens para uma outra unidade da federação. O pedido feito pelo governador Robinson Faria ao ministro foi que os agentes permanecessem no Rio Grande do Norte até a conclusão da reconstrução de Alcaçuz, da conclusão das obras da Cadeia Pública de Ceará Mirim e da contratação de 500 novos agentes penitenciários, cujo concurso será realizado de forma emergencial. “Essas contratações deverão ocorrer em um prazo de três a quatro meses”, estimou o governador. 

Com relação aos demais pedidos apresentados pela bancada, o ministro Serraglio não ofereceu uma resposta imediata: ele encaminhará os pleitos para análise de sua assessoria. Porém, ele ressaltou que todos os ministérios sofreram importantes cortes orçamentários. “Aqui na Justiça, estamos em uma situação de que se não promovermos nenhum corte no orçamento da Polícia Federal, por exemplo, não sobrará nenhum recurso para a Polícia Rodoviária Federal, a Funai e a Força Nacional”, comentou. 

O senador Garibaldi Filho fez uma exposição dramática da situação do recrudescimento da violência no Rio Grande do Norte. Ele apresentou dados estatísticos que já havia anunciado no Plenário do Senado e falou sobre o clamor popular que atinge todas as camadas sociais, pleiteando segurança. Garibaldi pediu ao ministro que, além de renovar a permanência dos agentes que já estão atuando no sistema penitenciário, determine o envio de pelo menos mais 200 homens para auxiliar nas ações de inteligência e de repressão ao crime. 

Por sua vez, o senador José Agripino alertou que a situação vivida pelo Rio Grande do Norte não poderia ser considerada normal e que até o governador Robinson Faria estava sendo ameaçado de morte. “Uma ajuda agora pode evitar um desastre de repercussão nacional”, opinou. O deputado Fábio Faria explicou que a disputa pelo comando do tráfico no estado – entre o PCC e o Sindicato do Crime – é o principal agravante da situação de insegurança no estado. Para Walter Alves, apesar das dificuldades que o governo federal enfrenta em seu Orçamento, a situação do RN “é periclitante” e as pessoas não aguentam mais viver amedrontadas. 

Já o deputado Antonio Jácome observou que está havendo uma tentativa, por parte dos criminosos, de desmoralizar a ordem pública no RN. Ele defendeu mais ações efetivas da Polícia Federal no combate ao tráfico de drogas. O deputado Felipe Maia comparou que o Rio Grande do Norte, um estado pequeno, está enfrentando um nível de violência que não condiz com o seu tamanho. Rafael Motta registrou que Natal se tornou uma das cidades mais violentas do mundo. “A bancada está aqui pedindo socorro”, declarou.