Facebook

Image Map

31 de março de 2017

Secretaria de Saúde vai iniciar campanha sobre hanseníase nas escolas


A Secretaria Municipal de Saúde vai dar início no mês de abril à Campanha dos Escolares no Combate à Hanseníase. A atividade é realizada através de ações nas escolas, no sentido de identificar sintomas da doença em crianças.
De acordo com Mércia Cristina, assistente social e responsável pelo setor de Hanseníase na Secretaria, a campanha do Ministério da Saúde já existe há cinco anos, sendo que em Mossoró ela está no seu terceiro ano. Ela destacou ainda que ano passado, as atividades não foram finalizadas.
Nesta etapa, serão trabalhadas as regiões Leste e Oeste da cidade, no que corresponde aos bairros Alto de São Manoel e Abolição. “Nós já trabalhamos as regiões Norte e Sul, com atividades no Santo Antônio e Alto da Conceição”, destacou.
O público alvo da campanha são estudantes de 5 a 14 anos, que serão visitados nas escolas pelas equipes das Unidades Básicas de Saúde dos bairros correspondentes. “As equipes vão realizar exames nas escolas mesmo e caso algum sintoma seja detectado nas crianças, estas serão encaminhadas para a UBS mais próxima de sua residência, que deverá marcar o tratamento com o serviço de referência, mas fica recebendo tratamento na própria UBS”, continuou Mércia Cristina.
A assistente social explicou ainda que, caso seja detectada a doença na criança, toda a família dela também será examinada. “Quando a criança é portadora da doença, o comum é que esta tenha sido transmitida por um adulto, já que a hanseníase leva em média 10 anos para se desenvolver”, disse.
No dia 23 deste mês foi realizada uma capacitação para os profissionais que vão trabalhar na campanha, com o médico dermatologista e mestre em tratamento de hanseníase, Maurício Nobre.
Em 2016 o setor identificou 62 novos casos da doença em Mossoró, em pessoas de várias idades e em 2015, 24 casos foram identificados em crianças. “Esse número de casos em crianças é muito alto. Nos dois últimos anos não tivemos condições de realizar a campanha completa, mas é importante alertar e detectar o mais rápido possível a doença que é muito grave, acomete os nervos, deixa a pessoa incapacitada e atinge, na maioria das vezes adultos sem vínculo empregatício, então quanto mais cedo o diagnóstico, melhor é o tratamento”, afirmou.
A forma de prevenir a doença é a vacina BCG. “A pessoa que tem contato com algum paciente de hanseníase tem que tomar outra dose da vacina, não apenas aquela que é aplicada quando bebê”, concluiu Mércia Cristina.