13 de janeiro de 2017

Caern alerta para riscos de ligações clandestinas de esgotos em obras inacabadas de Natal



Com o avanço nas obras de esgotamento sanitário de Natal, ultrapassando os 500 quilômetros de tubulações implantadas, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) alerta os clientes para não realizar ligações antes de receber o comunicado formal da empresa para tal providência. Ter a tubulação instalada não significa que é possível ligar esgotos nessa tubulação, informa o coordenador do Grupo de Acompanhamento de Obras (GAO), engenheiro Paulo Cunha. Quem realiza ligação clandestina comete crime ambiental, além de dificultar o andamento das obras e poluir o meio ambiente.

A Caern tem recebido denúncias de moradores que reclamam de água servida com odor desagradável escorrendo nas ruas em diversos bairros onde o sistema de esgotos ainda não entrou em operação. Como a obra não está concluída, a tubulação não tem como levar os dejetos ao destino final, que é a Estação de Tratamento de Esgotos (ETE). Essas denúncias são encaminhadas para a Semurb ou Promotoria do Meio Ambiente, a quem compete fiscalizar e adotar as medidas corretivas.

EDUCAÇÃO

Para inibir essas ocorrências, a companhia vem intensificando o trabalho educativo junto a população por meio de visitas aos imóveis e reuniões em associações de bairros, com orientações sobre a importância das obras e cuidados necessários com as instalações sanitárias. Os educadores ambientais orientam os clientes na instalação de caixa coletora na calçada, obedecendo medida-padrão, para ser utilizada como ponto de interligação entre o ramal particular e a rede coletora pública.

As ligações dos ramais só podem ser feitas na rede coletora pública quando as obras das Estações Elevatórias e de Tratamento forem concluídas, equipadas e testadas. A Caern vem realizando ligações em bairros que constavam nos projetos das Estações de Tratamento de Esgotos do Baldo e Rota do Sol, esta última ampliada recentemente.

Quem tiver dúvidas sobre o assunto deve ligar gratuitamente para o fone 115, que atende todos os dias por 24 horas.