Facebook

Image Map

26 de dezembro de 2016

Crise financeira e déficit de pessoal complicaram situação da saúde no RN, diz secretário

Foto: Rodrigo Sena

Na manhã desta segunda-feira (26), o secretário de Saúde, George Antunes, concedeu entrevista à TV Tropical onde fez um balanço das ações em 2016 e falou sobre as perspectivas para o ano de 2017. De acordo com o secretário, a crise nacional, que afeta a situação financeira de estados e municípios foi um dos principais desafios enfrentados este ano, além do déficit de pessoal em razão da grande quantidade de aposentadorias motivadas pelas mudanças nacionais nas regras da previdência.
Para contornar as dificuldades, George Antunes acredita que a regionalização é o melhor caminho. “Estamos fazendo uma revisão no processo de regionalização, redefinindo o perfil dos hospitais, tornando as unidades mais resolutivas e trabalhando em parceria com os municípios. O consórcio na região do Seridó já está bastante consolidado e vamos começar a regionalização por lá”, disse.
Sobre as cirurgias ortopédicas o secretário informou que a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) está em busca de mais um prestador de serviço, em parceria com as secretarias de saúde dos municípios de Natal e Mossoró, para ampliar o volume de cirurgias, reduzindo a fila de espera.
Para enfrentar uma possível epidemia de chikungunya, George lembrou que a rede estadual de saúde está tecnicamente preparada, inclusive tendo sido capacitada recentemente pelo Ministério da Saúde em um seminário sobre arboviroses.
O envelhecimento da população e o grande número de acidentes no trânsito foram os principais fatores apontados pelo secretário para um aumento na demanda pelos serviços de saúde nos próximos anos.
“Apesar de todas as dificuldades, os servidores da saúde ainda tem amor pelo que fazem. O problema da saúde não é de gestão, mas sim de financiamento. Para 2017 vamos precisar de muita habilidade e conhecimentos de gestão para contornar as dificuldades e continuar oferecendo um serviço de qualidade para a população”, finalizou George Antunes.